Notícias da paróquia › 02/05/2014

3º Domingo da Páscoa

+ Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília

Neste tempo de celebração e de vivência da Páscoa, o Evangelho proclamado nos mostra como encontrar Jesus Ressuscitado, à luz da experiência realizada pelos discípulos. Eles tiveram dificuldades para reconhecer a presença de Jesus, assim como pode ocorrer com os discípulos em todos os tempos.

Na primeira cena, os dois discípulos aparecem caminhando de Jerusalém a Emaús. O texto assim descreve a situação deles: “estavam como que cegos”, “com o rosto triste”, discutindo entre eles, “lentos para crer”, incapazes de enxergar o sentido dos acontecimentos ocorridos em Jerusalém. Eles não conseguiam aceitar e compreender a paixão e morte de Jesus e de acreditar no anúncio de que ele havia ressuscitado. Contudo, o Evangelho quer mostrar que Jesus Ressuscitado caminha com os seus discípulos. Jesus já estava caminhando com eles, mas eles não conseguiam reconhecê-lo.

A cena final é bastante diferente. Eles se levantaram e retornaram logo para Jerusalém fazendo um verdadeiro anúncio pascal: “Realmente, o Senhor ressuscitou!” (Lc 24,34) e “contaram o que tinha acontecido no caminho e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão” (Lc 24,35). O coração dos discípulos se aqueceu com a explicação das Escrituras no caminho para Emaús. Os seus olhos se abriram e eles reconheceram Jesus “quando ele se sentou à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuiu” (Lc 24,30). O sentido eucarístico deste gesto de Jesus torna-se ainda mais evidente no contexto da obra de São Lucas (Evangelho e Atos), pois ele utiliza a expressão “fração do pão” para referir-se à eucaristia. Os discípulos de hoje também são chamados a encontrar Jesus Ressuscitado através da Palavra e da Eucaristia. A partilha do pão de cada dia, que é consequência da partilha do pão eucarístico, também se torna ocasião para a experiência da presença do Ressuscitado em nosso meio e da vida nova que ele nos trouxe.

Quem se encontra com Jesus, não quer mais ficar sem ele e sabe que não pode caminhar sem ele. Por isso, repete a suplica dos discípulos de Emaús: “Fica conosco Senhor!” (Lc 24, 29). Seja esta a nossa oração neste dia e ao longo do Tempo Pascal.

Procuremos também partilhar com os irmãos a experiência do encontro com Cristo e da vida nova dele recebida, seguindo o exemplo dos discípulos de Emaús, que saíram prontamente para contar o que tinha acontecido no caminho e como tinham reconhecido Jesus.