Notícias da paróquia › 29/04/2016

Arquidiocese celebra memória da primeira Missa de Brasília

A Arquidiocese de Brasília convida a todos, em especial os Pioneiros e Candangos, para a Celebração Eucarística em memória a primeira Missa realizada na Capital Federal, no dia 03 de maio, às 12h15, na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida.

A primeira Missa Campal foi celebrada pelo Arcebispo de S?Paulo Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos em Brasa, no dia 3 de maio de 1957, ?11h20, junto ao hist??o Cruzeiro, sob imenso toldo de lona. No ch?assoalhado erguia-se o altar com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil e madrinha de Brasa. O evento contou com a participa? de milhares de brasileiros e foi idealizado pelo ent?presidente da Repa Juscelino Kubitschek de Oliveira, que resgatou o significado da Primeira Missa do Brasil, em 1 de maio de 1500. A Missa Campal em mem?? a Primeira Missa em Brasa ser?elebrada no pr??o dia 12/09, ?10h, no Cruzeiro, atr?do Memorial JK, e ser?residida pelo Arcebispo Metropolitano de Brasa, dom Jo?Braz de Aviz, e contar?om a presen?de autoridades e representantes do Governo Federal e do DF, bem como membros do clero arquidiocesano e dos institutos religiosos. Haver?amb?inaugura? de duas est?as de Juncelino e Sarah Kubitscheck fixadas em um banco de m?ore em frente ao Memorial JK.

História

A primeira missa do DF foi celebrada em 1957na Praça do Cruzeiro, ponto mais alto do Planalto Central. Naquela ocasião, a cerimônia foi presidida pelo então arcebispo de São Paulo, cardeal Dom Carlos Camelo de Vasconcelos Motta. Estiveram presentes no evento o presidente Juscelino Kubitschek, o vice-presidente, João Goulart, representantes diplomáticos, escritores, parlamentares, além de todos os trabalhadores que estavam construindo a cidade.

Foi também nesta primeira Missa que Brasília recebeu a imagem de Nossa Senhora Aparecida que se encontra hoje na Catedral. A Cruz de madeira usada na Celebração também está exposta na Catedral.

Na ocasião, o então Presidente da República, Juscelino Kubitschek disse ao final da primeira Missa:

“Hoje é o dia de Santa Cruz. Dia em que Brasília, ontem apenas uma esperança e hoje entre todas a mais nova das filhas do Brasil, começa a erguer-se, integrada no espírito cristão, causa, princípio fundamento da nossa unidade nacional; dia em que Brasília se torna autenticamente brasileira. Porque desde as suas origens o Brasil existe com a presença de Cristo. Este é o dia do batismo do Brasil novo. É o dia da esperança, o dia da ressurreição da esperança. É o dia da cidade que nasce. Plantamos, com o Sacrifício da Santa Missa, uma semente espiritual neste sítio que é o coração da Pátria. Seja-me permitido formular uma ardente súplica, neste momento: que Nossa Senhora da Aparecida, a Padroeira do Brasil e Madrinha de Brasília, vele por esta cidade que surge, resguarde os que a vierem habitar, volva os olhos benignos para os homens públicos que daqui deverão dirigir esta Nação, a fim de que eles honrem os nossos maiores e sirvam condignamente as gerações futuras. Que Brasília se modele na conformidade dos altos desígnios do Eterno; que a Providência faça desta nossa terrestre um reflexo da cidade de Deus; que ela cresça sob o signo da Caridade, da Justiça e da Fé”.

A partir de 2008 a Arquidiocese de Brasília passou a relembrar este ato com Santa Missa na Praça do Cruzeiro, assim como a primeira. Mas em 2014, a realização desta solenidade foi transferida para a Catedral Metropolitana de Brasília.

Participe!

Por Kamila Aleixo
Foto: Arquivo Público