Notícias › 25/04/2017

Burke sobre viagem do Papa ao Egito: não há preocupação

Não há preocupação com a visita do Papa ao Egito: Francisco utilizará automóvel normal, não blindado. O porta-voz vaticano, Greg Burke, deu ontem, segunda-feira (24/04), alguns detalhes sobre a 18ª viagem apostólica internacional do Pontífice numa coletiva concedida aos jornalistas acreditados junto à Santa Sé.

Falta pouco para a partida do Santo Padre para o Cairo. Serão dois dias de visita, sexta-feira e sábado próximos (dias 28 e 29 de abril), no signo das três dimensões: pastoral, ecumênica e inter-religiosa.

Num país de quase 90 milhões de habitantes, em que 89% são muçulmanos sunitas, cerca de 10% são coptas ortodoxos e somente 0,1% são católicos, de vários ritos, o Papa chegará como homem de paz. Na medalha da viagem estão representados a Sagrada Família e elementos típicos do Egito.

Segundo explicou o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, estão previstos cinco discursos, a começar pelo que será dirigido aos participantes da Conferência Internacional sobre a Paz, na qual se pronunciará também o Grão-Imame de Al-Azhar.

Em seguida terá lugar com as autoridades e a visita ao Papa copta ortodoxo Tawadros II, ao término do qual juntos irão até a igreja de São Pedro e São Paulo, atingida em dezembro passado por um atentado, para uma oração ecumênica pelos cristãos assassinados.

No dia seguinte: a missa e o encontro com o clero, os religiosos e os seminaristas. Para deslocar-se o Papa Francisco não utilizará um veículo blindado, mas um automóvel normal, disse o diretor da Sala de Imprensa Vaticana.

A Rádio Vaticano perguntou a Greg Burke se esse gesto é também um sinal de esperança. Eis o que disse:

Greg Burke:- “O Papa quer dar sinais positivos. Está sereno, não é ingênuo, conhece a situação no Egito, sabe o que tem acontecido com os coptas nos últimos anos, particularmente  durante o Domingo de Ramos, mas quer dar também um sinal positivo. O quanto possível, ele gosta da normalidade, por isso se deslocará com um automóvel normal, fechado. Porém, em dois momentos, se deslocará com o golf car (automóvel aberto de pequeno porte): na missa do sábado para estar em meio ao povo, e no encontro no Seminário, quando se terá um momento de oração com os sacerdotes, os seminaristas e os religiosos. Também ali dará uma volta” com este pequeno automóvel aberto.

RV: Também o encontro e o pronunciamento que fará na Conferência internacional sobre a paz serão muito importantes…

Greg Burke:- “Falar de paz como verdadeiras pessoas de religião que são pela paz, como diz o Papa, essa é a verdadeira mensagem.”

RV: Podemos dizer que o desejo do Papa de construir o diálogo num certo sentido se reflita nestas três dimensões de sua viagem: pastoral, ecumênica e inter-religiosa. É uma viagem que tem essa forte caracterização…

Greg Burke:- “Sim, não há dúvida. O Papa sempre diz que é preciso construir pontes. Isso é um construir pontes. Digamos que o encontro que terá com a pequena comunidade católica é mais que uma ponte, porque são irmãos, porém, o encontro inter-religioso e ecumênico são aspectos chave.”

RV: Isso é testemunhado também pela presença do Patriarca de Constantinopla Bartolomeu…

Greg Burke:- “Efetivamente sim. Isso é uma coisa bonita, mesmo não sendo previsto um encontro entre os dois, porque esse não é o motivo da viagem, o fato que ele esteja presente é importante.”

Por Rádio Vaticano