Notícias › 24/05/2018

Clima frio desperta iniciativas solidárias

Nesta semana, muitas regiões do país experimentaram uma queda brusca na temperatura. Apesar de ainda faltar quase um mês para a estação mais fria do ano, muitos são os que sofrem com as baixas temperaturas.

Na última segunda-feira, 21, dois moradores de rua morreram por causa do frio na capital paulistana. Em Porto Alegre, na semana passada, também uma pessoa morreu por hipotermia.

Por causa dessa realidade, pessoas e organizações têm se mobilizado para ajudar aos que precisam, seja com agasalhos, cobertores, alimentos, etc.

Em Cachoeira Paulista, a Casa do Bom Samaritano atua desde 2002 no serviço aos andarilhos que passam pela cidade, e organizou uma campanha do agasalho para atender as pessoas em situação de vulnerabilidade social.

“O fluxo maior de andarilhos é de homens que passam pela casa do Bom Samaritano, então a Campanha do Agasalho deste ano tem o objetivo de arrecadar roupas masculinas, sapatos e cobertores principalmente nesses meses de maio e junho.”, explica a assistente social Karina Barbosa, responsável pela Casa.

Karina explica que a campanha vai até a última semana de julho, e que as doações podem ser entregues direto no local.

Em São Paulo, a Arquidiocese organiza também uma Campanha, juntamente com a Cáritas.

Fátima Giorlando, assistente social da organização, explica que a iniciativa foi pensada unindo também a Rádio Nove de Julho e o Jornal O São Paulo, e tem como tema “Tive frio e me vestistes” e como lema “Não importa o frio se há calor no coração”.

O objetivo, segundo Fátima, é movimentar paróquias, comunidades, grupos, pastorais, movimentos e colégios católicos, além de todas as pessoas de boa vontade a ajudar aqueles que moram nas ruas: irmãos desempregados, famílias vivendo em situações indignas de moradia, migrantes e refugiados que buscam uma vida melhor, idosos abandonados, entre tantas outras situações.

“Em meio a tantos sofrimentos, não podemos fechar nossos corações. O inverno é momento de olhar para nossos irmãos e irmãs desagasalhados, que sofrem com o frio nas ruas, em casas ou instituições sem ter a quem recorrer.”, diz o comunicado enviado da Cáritas a todos os organismos envolvidos na Campanha.

Reflexo de Deus

Padre João Gualberto realiza atualmente um trabalho nas obras sociais da Canção Nova, incluindo a Casa do Bom Samaritano. Para ele, a caridade é reflexo do próprio amor de Deus, pois Deus é amor:

“Embora vivamos em um mundo cada vez mais individualista, com pessoas focadas em si mesmas, o cristão tem consciência desse amor, amor que recebeu de Deus. O cristão sabe o sentido de sua caridade, de sua solidariedade, que não é mera filantropia, mas é reflexo do amor de Deus. Quem experimenta esse amor é movido a agir e reagir diante das circunstâncias, vai ao encontro do outro e o ajuda, assim como Deus faz conosco.”

Para Padre João, campanhas deste tipo são muito necessárias e importantes, pois devolvem ao ser humano carinho, atenção, e uma vida digna.

“Através desse serviço, além de terem suas necessidades assistidas, também eles podem fazer a experiência de Deus através do amor dos irmãos.”

Por Canção Nova