Notícias › 25/10/2017

Em Missa solene, fiéis celebram dia de Frei Galvão

“Estamos todos unidos em uma só fé, em um só coração e em uma só alma”. Assim, o reitor do Santuário Frei Galvão, padre Luiz Antônio Carvalho, iniciou nesta quarta-feira, 25, a Missa solene no dia em que se celebra Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, Frei Galvão, primeiro santo brasileiro. Neste ano, a novena e festa também foram em comemoração aos 10 anos da canonização do santo. 

Com o tema: “Frei Galvão e a devoção à Imaculada Conceição”, padre Luiz destacou a importância de Maria na busca do Frei pela santidade, e usou a devoção do santo como exemplo a ser seguido.

A Missa, celebrada no Santuário Frei Galvão em Guaratinguetá (SP), recordou os 10 anos da canonização do primeiro santo brasileiro, em maio de 2007, pelo então Papa Bento XVI. “Nós brasileiros ganhávamos um presente, colocávamos sobre os altares de nossa Igreja, para ser venerado e honrado, Santo Antônio de Santana Galvão”, disse. 

“Temos a graça de podermos buscar sua intercessão, sabendo que tudo que vem através dele é Graça de Deus, e ele é um canal. O centro da vida de Frei Galvão foi Jesus Cristo, nunca se colocando no lugar, e sim sendo instrumento da graça de Deus”, afirmou o sacerdote durante homilia desta quarta-feira.

A devoção à Imaculada Conceição foi constantemente citada pelo padre, que recordou as tradicionais pílulas de Frei Galvão, como atividade reveladora da intimidade do santo com a mãe de Deus. Segundo o sacerdote, a frase minúscula contida nas pílulas entregues por Frei Galvão aos enfermos, retirada do ofício de Nossa Senhora, é: “Ó virgem, depois do parto, permanecestes intacta. Ó Santa mãe de Deus, rogai por nós!”.

De acordo com o reitor do Santuário, o tema da festividade este ano procurou relembrar o encontro de Maria com Frei Galvão para incentivar o cultivo dos cristãos ao amor e carinho a Nossa Senhora. “Não dá para chegar à Santidade se não cultivarmos esta devoção que nos leva para mais perto de Jesus”, afirmou padre Luiz Antônio, que frisou durante homilia o caminho de santidade traçado por Frei Galvão. “A santidade fez com que ele também multiplicasse os gestos de Jesus para com os necessitados, doentes e pobres”.

“Se nós o queremos, e cultivamos essa devoção, sigamos seu exemplo. Não estamos aqui apenas para buscar graças e recorrer ao santo quando necessitamos, o mais importante é segui-lo como exemplo. Como Frei Galvão viveu seu amor a Deus, e como eu, como cristão, posso viver esse amor a Deus que também me ama e quer que eu chegue à santidade?”, questionou padre Luiz Antônio aos fiéis presentes na celebração.

Em resposta ao questionamento, o sacerdote afirmou. “A santidade é possível e está ao alcance de todos nós. Basta colocarmos nossos membros a serviço do reino Deus, praticando a justiça, vivendo o amor e a fraternidade, derrubando barreiras que não deixam com que outras pessoas cheguem a nós, não desviando o olhar dos necessitados que pedem socorro, levando palavras de esperança e conforto aos corações”.

Ao final da homilia, padre Luiz Antônio exortou. “Busquemos hoje nestes 10 anos de canonização o auxílio de Frei Galvão e o auxílio da Virgem Maria para que não desistamos da nossa caminhada, nem abramos mão da missão de construir um reino de amor, justiça e paz”.

Programação

A festa desta quarta-feira tem celebrações às 15h e 18h, estando programada para as 16h30min a tradicional Procissão Solene pelas ruas próximas ao Santuário. A Santa Missa às 18h será presidida pelo arcebispo metropolitano da arquidiocese de Aparecida, Dom Orlando Brandes.

O Santuário espera receber este ano aproximadamente cem mil pessoas durante a festa. Esses dados são baseados na distribuição das pílulas milagrosas de Frei Galvão que, a cada ano, aumenta significativamente.

Por Canção Nova