Notícias › 09/06/2017

Francisco pede a contribuição das mulheres no diálogo inter-religioso

No final da manhã desta sexta-feira (09/06), o Papa Francisco recebeu em audiência os participantes da Assembleia Plenária do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso.

O “Papel da mulher na educação à fraternidade universal” é o tema deste ano da Plenária – tema que o Papa definiu de “primária importância” para o caminho tortuoso da humanidade rumo à fraternidade e à paz.

Presença incisiva

Para Francisco, a figura da mulher como educadora está ofuscada pela violência “cega”, sendo elas e as crianças as principais vítimas, comprometendo o futuro das famílias e de toda a sociedade. O Pontífice define como “benéfico” o processo da crescente presença feminina na vida social, econômica, política e eclesial, que deve ser ainda mais “incisiva”. “As mulheres têm o pleno direito de se inserir ativamente em todos os âmbitos, e este direito deve ser protegido inclusive através de instrumentos jurídicos quando necessário.”

Heroísmo

Dedicação, consciência, coragem e heroísmo foram as palavras usadas pelo Papa para enaltecer o modo como as mulheres cumprem sua missão na família e na sociedade. Por estarem intimamente ligadas ao mistério da vida, “podem fazer muito para promover o espírito de fraternidade, com seu cuidado para a preservação da vida e com sua convicção de que o amor é a única força que pode tornar o mundo habitável para todos”.

Graças à contribuição feminina, afirmou o Papa, é possível superar a cultura do descarte.

Mulheres e homens juntos

Todavia, advertiu, a contribuição das mulheres não deve ser limitada a questões “femininas”. Pelo contrário, elas podem e devem se inserir no diálogo inter-religioso, inclusive em nível teológico. “O diálogo é um caminho que a mulher e o homem devem realizar juntos. Hoje, é mais necessário do que nunca que as mulheres estejam presentes.”

Por fim, o Pontífice agradeceu o “serviço precioso” que o Pontifício Conselho desempenha em tecer “a delicada teia do diálogo com todos os que buscam Deus e os homens de boa vontade”.

Por Rádio Vaticano