Notícias › 21/10/2016

Humildade, ternura e generosidade são essenciais para a unidade

“A paz esteja convosco”, saudou o Papa Francisco aos presentes durante a Missa na Casa Santa Marta. Mediante esta saudação, o Pontífice fez um chamado à unidade da Igreja, através da “humildade, da ternura e da generosidade”.

O Santo Padre sublinhou que esta saudação do Senhor “cria uma ligação” de paz, pois “nos une para fazer a unidade do Espírito”.

“Se não há paz, se não formos capazes de nos cumprimentar no sentido mais amplo da palavra, ter o coração aberto com espírito de paz, nunca mais haverá a unidade”.

O Bispo de Roma explicou que “isto vale tanto para a unidade no mundo, como para a unidade nas cidades, no bairro e na família”.

“O espírito do mal sempre semeia guerra. Ciúmes, invejas, lutas, fofocas, são coisas que destroem a paz e, portanto, não pode haver unidade”.

Francisco questionou: “Como é o comportamento de um cristão para a unidade, para encontrar esta unidade? Paulo diz claramente: “Comportem-se de maneira digna, com toda a humildade, ternura e generosidade”. Essas três atitudes”.

O Papa assegurou: “Você não pode dar a paz sem humildade. Onde há orgulho, há sempre a guerra, sempre o desejo de vencer sobre o outro, de crer ser superior. Sem humildade não existe paz e sem paz não há unidade”.

Em seguida, o Santo Padre exortou: “A ternura é a capacidade de suportar uns aos outros”. E em terceiro lugar está a generosidade, um grande coração capaz de acolher a todos, sem condenar e sem se rebaixar a mesquinharias”.

“Neste grande coração todos encontram lugar! Ele tem um vínculo com a paz, de criar a unidade. O criador da unidade é o Espírito Santo, que favorece e prepara a unidade”

“Este –sublinhou– é um meio digno de participarmos da vocação do mistério à qual fomos chamados, do mistério da Igreja”.

Nesse sentido, o Pontífice recordou que “o mistério da Igreja é o mistério do Corpo de Cristo: ‘Uma só fé, um só Batismo’, ‘um só Deus, Pai de todos, que habita sobre todos, por todos e em todos’”.

“Essa é a unidade que Jesus pediu ao Padre para nós, e que nós devemos torná-la realidade por meio do vínculo da paz”, concluiu.

Leitura comentada pelo Papa:

Primeira Leitura (Efésios 4, 1-6)

Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz.

Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.

Por ACI Digital