Palavra do Pastor › 30/12/2018

Festa da Sagrada Família – 30/12/2018

Sagrada Família

+ Sergio da Rocha
Cardeal Arcebispo de Brasília

O Natal não se reduz a um único dia festivo. O tempo do Natal estende-se até a festa do Batismo do Senhor, no próximo dia 13 de janeiro. O primeiro domingo após a solenidade do Natal é dedicado à Sagrada Família, Jesus, Maria e José, modelo permanente para toda família. O nosso olhar se volta para a Sagrada Família de Nazaré que ocupa o lugar central no presépio.

Cada família é chamada a ser santa, espelhando-se na família “sagrada” de Nazaré. Deus quer habitar em cada família, tornando-a santa. É ele quem nos santifica! Assim como ocorreu com Maria e José, somos chamados a acolher Jesus e a permanecer sempre com ele. A procura de Maria e José por Jesus menino, na viagem a Jerusalém, nos motiva a buscá-lo sempre e a estar sempre com ele. Se por algum momento, alguém perceber que está se afastando dele, deve procurá-lo insistentemente. Para isso, é fundamental imitar a atitude contemplativa de Maria, que “conservava no coração” (Lc 2,51) o mistério que Deus estava revelando. Assim fazendo, poderemos compreender sempre mais o sentido dos acontecimentos na vida pessoal e familiar e discernir a vontade de Deus.

A Carta de São Paulo aos Colossenses apresenta um verdadeiro programa de vida para as nossas comunidades e famílias, recordando-nos o mandamento do amor: “amai-vos uns aos outros”. O Apóstolo oferece indicações preciosas para a vivência do amor fraterno. A vida de uma comunidade ou de uma família deve ser feita de “sincera misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência”, acrescentando, com destaque, o perdão (Cl 3,12-13). Cada um deve fazer a sua parte, conforme o texto paulino proclamado: marido, esposa, pais e filhos. Ao invés de exigir dos outros, é necessário dar a própria contribuição para que a família possa ter uma vida cristã, com unidade e paz.  O Eclesiástico ressalta a atitude dos filhos em relação aos pais, desenvolvendo, de modo admirável, o mandamento que ordena “honrar o pai e a mãe”, com suas consequências. O amor pelos pais é fonte de bênçãos, trazendo preciosos frutos para os filhos.

Para viver bem o Natal, é fundamental a participação da família na Igreja. Por isso, é preciso organizar-se para participar das missas neste período natalino, que para muitos é também período de férias. Ao organizar viagens e períodos de lazer, não deixe de dar prioridade à participação na missa, ao menos dominical. Seja este um tempo especial também para a convivência fraterna com os familiares e amigos. Assim fazendo, as alegrias do Natal se estenderão ao longo do novo Ano.