Notícias › 07/01/2017

No Haiti, crianças vivem em condições de “vida ou morte”, diz Unicef

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, alertou que três meses depois da passagem do furacão Matthew pelo Haiti, milhares de crianças ainda vivem em condições de “vida ou morte”.

De Porto Príncipe, em entrevista à ONU News, a chefe de comunicação do Unicef, Cornelia Walther, disse que num país com 10 milhões de habitantes,  2 milhões foram afetados pela tempestade, sendo que as crianças representam quase 1 milhão.

Walther disse que “quase uma em cada 10 crianças no Haiti foi afetada pelo furacão e ainda hoje, três meses depois, 600 mil crianças ainda sofrem os efeitos e precisam de ajuda.”

A representante do Unicef afirmou que escolas, hospitais e residências foram destruídas pelo Matthew e “muitas famílias que, de início, já não tinham nada, perderam o pouco que possuíam com a tempestade”.

Cornelia Walther explicou que a agência da ONU “tem trabalhado com o governo, com parceiros e com as comunidades locais para restaurar casas, escolas e para garantir que a população tenha acesso à água potável”, sem falar na proteção das crianças.

O Unicef ajudou também na campanha de vacinação contra o cólera no país. Mais de 800 mil pessoas foram vacinadas sendo que mais de 300 mil eram crianças.

A chefe de comunicação do Fundo para a Infância agradeceu aos doadores internacionais pela ajuda financeira recebida até agora mas disse que a agência precisa de mais dinheiro para cobrir as operações humanitárias no país.

Por Canção Nova, com Rádio ONU Brasil