Notícias da paróquia › 25/04/2014

Palavra do Pastor – 2º Domingo da Páscoa

Arcebispo de Brasília

A Igreja propõe que “os cinquenta dias entre o Domingo da Ressurreição e o Domingo de Pentecostes sejam celebrados com alegria e exultação, como se fossem um só dia de festa”. Por isso, continuamos a expressar o nosso louvor e alegria pela Páscoa da Ressurreição do Senhor, rezando com o Salmista:“dai graças ao Senhor porque ele é bom! Eterna é a sua misericórdia”(Sl 117).

O segundo Domingo da Páscoa é denominado “Domingo da Divina Misericórdia”, assim proposto pelo Papa João Paulo II. Jesus Ressuscitado se faz presente entre os seus discípulos demonstrando a sua grande misericórdia para com eles e para conosco. O Evangelho segundo S. João, hoje proclamado, nos apresenta o primeiro encontro de Jesus com os seus discípulos após a sua paixão e morte na cruz (Jo 20,19-31). Depois de ter sido traído e abandonado por eles, Jesus os reencontra desejando-lhes seguidamente a paz e oferecendo-lhes o dom do Espírito, juntamente, com a missão de perdoar os pecados. Ao invés de cobrar explicações ou de condená-los, Jesus lhes transmite a paz e o perdão. Para viver em comunidade, assim como, para viver em família, necessitamos muito da misericórdia divina e também da misericórdia entre nós, o que inclui o perdão ao próximo e uma atenção especial aos que mais sofrem. Entretanto, a acolhida da misericórdia divina pressupõe a fé. Quem crê em Cristo Ressuscitado, confia no seu amor misericordioso e o leva aos seus irmãos.

O texto proclamado ressalta a figura do apóstolo Tomé. Num primeiro momento, ele não estava na comunidade dos discípulos, quando o Senhor se colocou no meio deles. Por isso, não foi capaz de crer e aceitar o testemunho dado por eles. Num segundo momento, estando novamente com os discípulos, Tomé encontra Jesus. Numa atitude de fé, ele se prostrou diante do Ressuscitado, proclamando: “Meu Senhor e meu Deus!” (Jo 20,28). Tomé se tornou um grande missionário, anunciador do Evangelho e testemunha fiel de Jesus até a morte. Assim como ele fez, nós também nos prostramos diante de Jesus repetindo: “Meu Senhor e meu Deus!”, testemunhando esta mesma fé com as palavras e a vida.

Com toda a Igreja, nós louvamos a Deus, de modo especial, pela canonização dos queridos Papas João XXIII e João Paulo II. Celebramos a divina misericórdia recorrendo à intercessão de São João Paulo II e São João XXIII, aprendendo com eles a ser santos no mundo de hoje. Pedimos as orações de todos pela Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, a ser realizada em Aparecida – SP, nos dias 30 de abril a 09 de maio, tendo como tema central “Comunidade de Comunidades. Uma nova Paróquia”.