Notícias da paróquia › 09/08/2016

Sinos da Catedral Metropolitana de Brasília voltam a tocar

6130campanario_da_catedral_de_brasiliaApós ficar um ano em total silêncio, dois dos quatros sinos do campanário da Catedral Metropolitana de Brasília voltaram a badalar na última semana.

Os sinos foram desativados depois da queda de um dos badalos, para que não viessem a sofrer alguma outra danificação, já que os instrumentos apresentavam alguns desgastes naturais nas estruturas, acarretados pela ação do tempo.

Após passarem por manutenção, o sino maior, Santa Maria, e o menor, Pilariaca, tornaram a funcionar normalmente.

Já os outros dois sinos continuam precisando de reparo. O Pinta – o segundo do menor para o maior – porque possui problema na aparelhagem que o faz tocar, e o Nina porque perdeu o badalo, como citado acima.

O Coordenador do Setor de Comunicação da Arquidiocese e também pároco da Catedral, padre João Firmino Galvão, afirma que no momento não há previsão de quando os sinos voltarão a funcionar, devido à falta de verba.

“Os gastos com os sinos serão grandes e fogem do orçamento atual da Catedral que tem outras questões, também urgentes, a serem resolvidas. Mas gostaria que os sinos estivessem prontos para a Festa de Aparecida ou para o fim do Ano da Misericórdia ou Natal”, disse.

Além da falta do dinheiro, o pároco ainda elenca as complicações para realizar consertos e manutenções nos sinos.  “A grande dificuldade é que, além de tudo ser muito caro, dependemos de outras ações, como por exemplo: Precisamos pagar pelo trabalho como também pelos gastos com o transporte e a estadia do engenheiro e especialista em sinos com programação eletrônica, já que ele vem do Rio de Janeiro. Esperamos aparecer espaço na agenda do técnico. No caso do sino que tem de arrumar o badalo – Nina – tem de ser retirado do lugar e levado para uma fundição, que precisa ser num lugar específico. Precisamos também arrumar meios, como guindastes ou elevadores, para se chegar até o alto; mas para isso contamos com a ajuda do Corpo de Bombeiros do DF, a quem somos gratos pela ajuda e disponibilidade”, contou o padre João Firmino.

Apesar das dificuldades relatadas, ouvir o som produzido pelos dois sinos já é gratificante para o pároco, que relata a importância dos badalos ao longo do dia. “O seu tocar, a sua melodia, vinda do alto, nos levar a olhar para o alto, para o próprio Deus, no intuito de parar um pouco e despertar para a ação de Deus em meio a nós”, ressalta.

Durante a semana, os sinos, que são controlados por meio de sistema eletrônico desde 1987, tocam às 06h, às 12h e às 18h. Já aos fins de semana, eles tocam nos mesmos horários e ainda cerca de 10minutos antes de cada Missa, presididas às 08h30, às 10h30 e às 18h.

Quanto aos horários dos badalos, padre João explica que são horários tradicionais para a Igreja.  “Eles (os sinos) tocam de manhã para as laudes e para o despertar para o novo dia, que acaba de raiar. Às 12h, para a hora média, convidando as pessoas a pararem um pouco no meio do dia para se voltarem a Deus e a si mesmas. Já às 18h, para as vésperas, no fim de um dia de jornada, convidando também as pessoas para a devoção do Angelus, voltando-se a intercessão da Virgem, mãe de Deus e nossa mãe”, concluiu.

Os sinos da Catedral foram construídos em 1962 e doados pelo governo da Espanha em 1970. Foram batizados com os seguintes nomes, por ordem de tamanho, do maior para o menor: Santa Maria, Nina, Pinta e Pilarica. Os três maiores lembram as Caravelas de Cristóvão Colombo na descoberta da América, já o menor, é uma homenagem a Nossa Senhora do Pilar, muito cultuada naquele país.

Feitos de bronze, os sinos pesam entre 700 e 3.200kg, e estão suspensos a 20metros de altura pelo campanário, uma torre com uma estrutura de concreto e ferro, criado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e inaugurado em 1977, por D. José Newton de Almeida Baptista, então Arcebispo de Brasília.

 

Clique aqui e assista ao vídeo dos sinos badalando

Informações:
Local: Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida
Endereço.: Esplanada dos Ministérios
Telefone: (61)3224-4073
Site: http://www.catedral.org.br/

Por Gislene Ribeiro
Via Arquidiocese de Brasília