Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h
Horários de Funcionamento na Pandemia
Segundas: fechada
De terça a sexta: das 08h às 12h15 (inicio da missa) depois fecha.
Sábados: das 08h às 17h (inicio da missa)
Domingos: das 09 às 12h e das 16h às 18h (inicio da missa)

Assassinatos no campo batem novo recorde em 2016

Relatório “Conflitos no Campo Brasil 2016” que a Comissão Pastoral da Terra (CPT), um dos organismos da CNBB, lança hoje, constata que 2016 entra para a história como o ano com o maior número de assassinatos no campo em decorrência de conflito agrários nos últimos 13 anos. O monitoramento da CPT registrou 61 assassinatos ano passado, 11 a mais que em 2015, com registro de 50 assassinatos.

Estes dados estão na 32ª edição do relatório produzido pela CPT que reúne dados sobre conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro, neles inclusos indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais. O relatório será hoje, dia 17 de abril, às 14h30 na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília (DF). 

Estarão presentes no lançamento, o presidente da CPT, dom Enemésio Lazzaris, membros da coordenação executiva nacional da CPT, representantes da CNBB, o professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Marco Mitidiero, a filha da Nicinha, militante do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), assassinada em Rondônia, Divanilce Andrade, entre outros convidados. 

Números da impunidade

O relatório mostra ainda que 48 destes assassinatos ocorreram na Amazônia Legal. Além do aumento no número de assassinatos, houve aumento em outras violências. Ameaças de morte subiram 86% e tentativas de assassinato 68%. Os dados mostram 2016 como um dos anos mais violentos do período em que a CPT faz o registro desde 1985.

Segundo os dados do Centro de Documentação Dom Tomás Balduino da CPT, entre 1985 e 2016 foram 1.387 casos com 1.834 pessoas assassinadas em conflitos no campo. Deste total, apenas 112 casos foram julgados, e houve a condenação de apenas 31 mandantes destes assassinatos. 

__________________________________

Serviço: 

Lançamento do relatório Conflitos no Campo Brasil 2016
Quando: 17 de abril (segunda-feira), a partir das 14h30.
Onde: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) – SE/SUL, Qd, 801, Conj. B, Brasília (DF).

Informações:
Cristiane Passos (62) 4008-6406 / 99268-6837 
Elvis Marques – (62) 4008-6414 / 99413-0298
João Damásio – (62) 4008-6412 
A partir das 14h30 do dia 17, todos os dados estarão disponíveis na página da CPT na internet: www.cptnacional.org.br /@cptnacional

Por CNBB

2017-04-17T09:31:32-03:0017/04/2017|
Abrir chat
Powered by