Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h

Bispo de Hiroshima faz apelo por um mundo sem armas nucleares

Recordar a tragédia das bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki e crer num futuro livre das armas nucleares: é a esperança expressa pelo bispo de Hiroshima, Dom Alexis Mitsuru Shirahama, no aniversário dos 73 anos dos trágicos bombardeios sobre as duas cidades japonesas, ocorridos, respectivamente, nos dias 6 e 9 de agosto de 1945.

“Junto aos fiéis da minha diocese, sou profundamente grato àqueles que oferecem suas orações e atividades em favor da paz no mundo. Sinto que este momento é importante” para trabalhar juntos rumo à desnuclearização”, declarou o prelado à agência missionária AsiaNews.

Oração comum com cristãos, budistas e xintoístas
Nestes dias o Japão recorda as vítimas das bombas que mataram, imediata e sucessivamente, ao menos duzentas mil pessoas no final da II Guerra Mundial. Na segunda-feira (06/08) os cidadãos de Hiroshima se reuniram no Parque da Paz, onde foi feita uma oração comum, com a presença de fiéis cristãos (católicos e protestantes), budistas e xintoístas.

Na ocasião, o prefeito da cidade, Kazumi Matsui, reiterou a necessidade para os estados de aderir ao Tratado da Onu sobre a proibição das armas nucleares: “Se a família humana esquecer a sua história ou deixar de defrontá-la, poderemos cometer novamente um erro terrível”. Por isso, o Japão deve guiar a comunidade internacional ao “diálogo e cooperação por um mundo sem armas nucleares”, ressaltou o alcaide.

“Dissuasão nuclear”: política instável e perigosa
Matsui contestou duramente a política da “dissuasão nuclear” para manter a ordem internacional através do medo. Esta é uma postura “totalmente instável e extremamente perigosa”. Hoje se estima no mundo a existência de quatorze mil ogivas nucleares.

Tratou-se de um veemente apelo à desnuclearização do mundo que, por sua vez, Dom Shirahama dirigiu a seu país e a toda a comunidade internacional: “Faço votos de uma promoção mais rápida do Tratado sobre a proibição das armas nucleares estabelecido pelas Nações Unidas no ano passado. E espero que o Japão participe deste acordo”.

Um pensamento também pela península coreana
A oração do bispo de Hiroshima dirige-se também à vizinha península coreana, na esperança de “uma mais rápida realização do entendimento alcançado este ano entre a República democrática popular da Coreia e os EUA sobre a desnuclearização”.

“Continuo rezando e oferecendo tudo aquilo que é possível fazer todos os dias, com Deus e com todas as pessoas que partilham a mesma intenção”, assegurou o prelado nipônico.

Via L’Osservatore Romano

2018-08-09T10:28:54-03:0009/08/2018|