Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h
Horários de Funcionamento na Pandemia
Segundas: fechada
De terça a sexta: das 08h às 12h15 (inicio da missa) depois fecha.
Sábados: das 08h às 17h (inicio da missa)
Domingos: das 09 às 12h e das 16h às 18h (inicio da missa)

Concluída rogatória para beatificação do Pe. Ezequiel Ramin

A rogatória diocesana para a causa de Beatificação do Padre Ezequiel Ramin, missionário comboniano italiano assassinado em 24 de julho de 1985, em Cacoal, Rondônia, serão concluídas no próximo sábado, 25 de março.

A rogatória havia sido aberta em 9 de abril de 2016, após o início da investigação da Diocese de Ji-Paraná sobre a fama de santidade, corroborada pela indicação de “super martyrio”, ou seja, que demonstra a consciência de que o religioso morreu na defesa da própria fé, da paz e da justiça”.

A fase diocesana do processo de beatificação do “Servo de Deus” Padre Ezequiel Ramin – já proclamado “Mártir da Caridade” pelo Papa João Paulo II – começou, com a primeira sessão pública no dia 9 de abril de 2016, na cidade italiana de Pádua.

Desde então, foram 36 as sessões do Tribunal diocesano, em que foram ouvidas 33 testemunhas provenientes de várias partes da Itália e do exterior.

O trabalho do processo rogatório havia sido aberto aberto na igreja dos Missionários Combonianos, na Via San Giovanni da Verdara, em Pádua, com a instituição do tribunal sobre o processo “super martyrio” e o juramento dos componentes.

Após um momento de oração, Dom Pietro Brazzale, coordenador geral da rogatória, havia apresentado as motivações e o significado. Seguiu-se o juramento do Bispo Claudio Cipolla e dos membros do Tribunal para a rogatória diocesana: o juiz delegado Mons. Giuseppe Zanon; o Promotor de justiça Pe. Antonio Oriente; o advogado notário das actas, Mariano Paolin, e o notário adjunto e coordenador geral da rogatória, Mons. Pietro Brazzale.

Padre “Lele” Ramin, comboniano de Pádua, foi assassinado no dia 24 de julho de 1985 em Cacoal, Rondônia.

Por Rádio Vaticano

2017-03-23T08:54:20-03:0023/03/2017|
Abrir chat
Powered by