Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h
Horários de Funcionamento na Pandemia
Segundas: fechada
De terça a sexta: das 08h às 12h15 (inicio da missa) depois fecha.
Sábados: das 08h às 17h (inicio da missa)
Domingos: das 09 às 12h e das 16h às 18h (inicio da missa)

Conheça a praia financiada pelo Papa para pessoas com deficiência

Fácil acesso ao mar, passarelas adaptadas por toda sua extensão, águas cristalinas e areia branca: assim é “La Madonnina”, praia localizada em Fiumicino, na Itália, e totalmente estruturada para receber deficientes e pessoas com necessidades especiais.

Situado a 30 quilômetros da capital Roma, o balneário é considerado um ambiente sem barreiras arquitetônicas e mentais.

O local é aberto para todas as pessoas, que logo na entrada são recebidas pela estátua de uma “Madonnina” (Pequena Nossa Senhora) sobre as rochas.

A estrutura da praia conta com rampas acessíveis que interligam as áreas de serviço, como bares, duchas, vestiários e guarda-sóis. Além disso, todas as cadeiras são adaptadas com rodas para facilitar o deslocamento dos deficientes.

O ambiente ainda dispõe de médicos e equipamentos de emergência e tem o apoio da Federação Italiana de Natação Paralímpica, que atualmente treina voluntários para atender a todos os visitantes durante os banhos de mar.

Exuberante e sem fins lucrativos, La Madonnina ficou famosa após o papa Francisco “pagar seu aluguel anual” com uma doação em dinheiro para a colônia de férias. A iniciativa teve como objetivo custear os gastos do local durante um ano, o que viabilizará a curtição de diversas pessoas com limitações físicas.

No entanto a praia foi inaugurada em 2012, graças à associação Obra São Luis Gonzaga, que teve a ajuda de dom Massimo Consolaro, padre da igreja “La Madonnina”, e de um grupo de voluntários. Na ocasião, a colônia estava em concessão a um instituto de freiras abandonado por 30 anos. O grupo recuperou o local e deu início ao projeto solidário.

A partir de então, as famílias e jovens que começaram a frequentar a estrutura faziam uma colaboração simbólica de cinco euros em troca do uso de espreguiçadeiras e guarda-sóis.

Atualmente, o lucro gerado na praia é destinado ao projeto e à conservação do local.

A estrutura fica aberta ao público das 9h às 19h locais, todos os dias da semana.

Por Ansa

2017-05-26T09:05:59-03:0026/05/2017|
Abrir chat
Powered by