catedral-logo

4º Domingo do Tempo Comum – 03/02/2019

Jesus continuou o Seu caminho

+ Sergio da Rocha
Cardeal Arcebispo de Brasília

O Evangelho, hoje proclamado, dá sequência ao episódio apresentado na liturgia do último domingo. Conforme o Evangelho segundo S. Lucas, Jesus foi a Nazaré, entrou na sinagoga e foi convidado a ler e a comentar um trecho do Profeta Isaías. Ele o fez, aplicando a si próprio a passagem anunciada.  O trecho de hoje (Lc 4,21-30) relata a reação dos habitantes de Nazaré diante das palavras de Jesus. Num primeiro momento, eles ficam admirados. Contudo, a admiração inicial, demonstrada pelos seus conterrâneos, logo se desfaz. Eles o conheciam há muito tempo; sabiam da sua origem humilde, chamando-o de “filho de José”, o carpinteiro. A reação de desprezo se completa com a dura rejeição a Jesus: “levantaram-se e o expulsaram da cidade”; pretendiam até “lança-lo no precipício”. O que aconteceu para que “todos” na sinagoga ficassem tão “furiosos”?

Jesus se referiu, corajosamente, à rejeição sofrida pelos profetas na própria terra e recordou a manifestação da misericórdia de Deus e a acolhida da salvação entre os que não pertenciam ao povo eleito, nos tempos de Elias e Eliseu: a viúva de Sarepta e o leproso Naamã, que era sírio. Assim sendo, esta passagem do Evangelho não fala apenas de recusa sofrida por Jesus e pelos profetas da parte dos seus conterrâneos. Ela fala, sobretudo, do amor misericordioso de Deus, oferecido a todos os que creem e acolhem a sua Palavra, sejam membros do povo eleito, sejam habitantes de outros povos. O alcance universal da salvação, testemunhado na alusão a Elias e Eliseu, se manifesta e se cumpre plenamente em Jesus Cristo.

Em meio a perseguições, o profeta sabe que pode contar com a presença de Deus que o sustenta e anima na missão, conforme a vocação de Jeremias. “Não tenhas medo”, “eu estou contigo para defender-te” (Jer 1,17.19), fala o Senhor aos que envia em missão. A firmeza e a fidelidade que Deus espera dos profetas encontram a sua realização plena em Jesus Cristo. Nesta perspectiva, Lucas ressalta que “Jesus, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho” (Lc 4, 30). Nada impede Jesus de caminhar fielmente para Jerusalém, onde consumará a sua missão, através do mistério de sua morte na cruz.

Na segunda leitura, a Liturgia de hoje nos recorda o verdadeiro sentido do amor cristão, a caridade, conforme nos descreve a Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios. O belíssimo hino à caridade nos mostra como viver o mandamento do amor.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
ATUALIDADES
AGENDA

2022 janeiro

Semana 5

seg 27
ter 28
qua 29
qui 30
sex 31
sáb 1
dom 2
seg 3
ter 4
qua 5
qui 6
sex 7
sáb 8
dom 9
seg 10
ter 11
qua 12
qui 13
sex 14
sáb 15
dom 16
seg 17
ter 18
qua 19
qui 20
sex 21
sáb 22
dom 23
seg 24
ter 25
qua 26
qui 27
sex 28
sáb 29
dom 30
seg 31
ter 1
qua 2
qui 3
sex 4
sáb 5
dom 6
SITES INDICADOS
Open chat