5º Domingo da Páscoa – 10.05.2020

A PALAVRA DO PASTOR

+ Dom Sergio da Rocha

O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA

O Evangelho proclamado, neste domingo, situa-se no contexto da última ceia, véspera da morte de Jesus na cruz. O clima de despedida, com os discípulos inquietos e preocupados, se transforma com as palavras de Jesus portadoras de serenidade e de esperança: “não se perturbe o vosso coração”; “vou preparar um lugar para vós” (Jo 14,1.2). Contudo, não se trata de uma atitude passiva, de comodismo, conforme a resposta de Jesus a Tomé. O discípulo demonstra não saber qual caminho seguir para chegar à morada preparada por Jesus na casa do Pai, ao perguntar-lhe: “como podemos conhecer o caminho?” (Jo 14,5). A resposta de Jesus está no centro da passagem meditada: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6). Não se trata apenas de uma bela afirmação, mas de um anúncio de validade permanente na vida e missão da Igreja. Os cristãos de hoje, assim como nos primórdios, necessitam fazer a experiência desta Palavra de Jesus. Hoje, há muita gente buscando o caminho a seguir, a verdade que dá sentido ao caminhar e a vida plena. Jesus é a resposta!

Os primeiros cristãos acreditaram na Palavra de Jesus, vivendo-a em comunidade, como devemos fazer, hoje. A comunidade cristã deve ser sinal e anúncio de Jesus, “o Caminho, a Verdade e a Vida”, no seu modo de viver e de se organizar. Por isso, os apóstolos organizaram melhor o serviço da caridade, para atender os mais pobres, representados pelas viúvas (At 6,1).

Por melhor que uma comunidade deva se organizar, ela jamais poderá ser equiparada a uma simples instituição. Permanecerá sempre uma comunidade de fé, um “edifício espiritual”, alicerçado em Cristo, a “pedra viva” ou a “pedra angular”, segundo os termos empregados pela Primeira Carta de Pedro (1Pd 2,4-6). A imagem da “pedra viva” é aplicada primeiramente a Cristo, a “pedra angular”, mas também aos seguidores de Jesus. Nós somos “pedras vivas” do templo espiritual que é a Igreja. Por isso, somos chamados a ser “sacerdócio santo” e “nação santa”. Ao invés de oferecer sacrifícios de animais, como ocorria no templo de Jerusalém, devemos “oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus”, através de uma vida santa. Entretanto, é preciso crescer e permanecer firmes na fé, pois a rejeição da “pedra angular”, que é Cristo, pode ser sofrida também pelas “pedras vivas” que são os cristãos.

Neste domingo, nós somos convidados a rezar pelas mães, demonstrando-lhes o nosso amor e gratidão por meio de gestos concretos. Obrigado às mães por tanto amor dedicado aos seus filhos. Rezemos pelas mães que mais sofrem, especialmente por causa da pandemia. Continuemos a cuidar, com amor e responsabilidade, da vida que é dom de Deus, recebida através de nossas mães.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
ATUALIDADES
AGENDA

2021 dezembro

Semana 2

seg 29
ter 30
qua 1
qui 2
sex 3
sáb 4
dom 5
seg 6
ter 7
qua 8
qui 9
sex 10
sáb 11
dom 12
seg 13
ter 14
qua 15
qui 16
sex 17
sáb 18
dom 19
seg 20
ter 21
qua 22
qui 23
sex 24
sáb 25
dom 26
seg 27
ter 28
qua 29
qui 30
sex 31
sáb 1
dom 2
SITES INDICADOS
Open chat