Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h

Batismo do Senhor – 13/01/2019

Batismo do Senhor

+ Sergio da Rocha
Cardeal Arcebispo de Brasília

Estamos concluindo, neste domingo, o Tempo do Natal, com a celebração da Festa do Batismo do Senhor. Expressemos nosso louvor a Deus pelo Batismo de Jesus e, de modo especial, pela graça do batismo que cada um de nós recebeu. Nesta ocasião, procuremos renovar a vida batismal, crescendo na fé em Cristo, na participação na Igreja e no testemunho cristão. Valorizar o Batismo implica também em ajudar os que não são batizados a acolherem a graça do Batismo, bem como motivar os pais a batizarem seus filhos. É necessário dar maior atenção aos que receberam o batismo, mas não seguem a Cristo, nem participam da vida da Igreja. Torna-se cada vez mais importante, em nossos dias, testemunhar a beleza e o vigor da fé, com simplicidade e coragem.

O Evangelho segundo São Lucas (Lc 3,15-22) narra o fato que motiva esta festa litúrgica. Na narrativa, destaca-se, primeiramente, o testemunho de João. Diante daqueles que pensavam ser ele o Messias, João reconhece humildemente a grandeza do Messias e anuncia um novo e definitivo Batismo.

No episódio do Batismo do Senhor, revela-se a identidade de Jesus como Filho de Deus Salvador, o Messias-Servo. A manifestação do Espírito e a voz do Pai dão um testemunho imensamente maior do que aquele de João Batista. Em Jesus Cristo, se cumpre plenamente a profecia de Isaías sobre o “Servo” eleito e amado por Deus, no qual repousa o Espírito. Meditamos, hoje, o primeiro dentre os quatro cânticos de Isaías a respeito do Servo de Javé e de sua missão. O que Isaías anuncia, aplica-se a Jesus, segundo o relato do Evangelho: “Eis o meu servo – eu o recebo; eis o meu eleito – nele se compraz minha alma; pus meu espírito sobre ele” (Is 42,1).

No nosso Batismo, o amor do Pai também se faz sentir, acolhendo a cada um de nós como seu “filho amado”. O Batismo cristão é oferecido a todos e não apenas ao povo da Antiga Aliança. O apóstolo Pedro reconhece que “Deus não faz distinção entre as pessoas” (At 10,34). Assim como Jesus, nós chamamos a Deus de Pai, pela graça do batismo. Ao mesmo tempo, os que clamam a Deus como Pai querido, são chamados a reconhecer e a tratar a todos como irmãos.

Recentemente, ao celebrar a solenidade da Epifania do Senhor, nós pudemos meditar sobre a universalidade da salvação oferecida a todos, em Jesus nascido em Belém. Os discípulos de Cristo devem testemunhar o amor de Deus a todos, especialmente, aos mais sofredores, a exemplo de Jesus de Nazaré, cuja missão encontra-se assim resumida pelo apóstolo Pedro: “Ele andou por toda a parte, fazendo o bem” (At 10,38).

2019-01-22T12:30:50-03:0013/01/2019|