Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h

Dom Sergio -17º DOMINGO DO TEMPO COMUM – 28.07.19

+ Dom Sergio da Rocha

Cardeal Arcebispo de Brasília

PAI NOSSO!

O texto do Evangelho segundo Lucas, hoje proclamado, inicia-se com uma afirmação fundamental para compreender o que se passa a seguir: “Jesus estava rezando”. São muitas as situações em que Jesus reza, conforme os Evangelhos.  O exemplo de Jesus leva os discípulos a quererem aprender a rezar, segundo o pedido de um deles: “Senhor, ensina-nos a rezar” (Lc 11,1).

Em resposta, Jesus lhes ensina a oração que nós denominamos “Pai Nosso”. Contudo, junto com as palavras que nos ensina a dizer ao Pai, ele também ensina as atitudes que devem acompanhar a oração, especialmente, a confiança e a perseverança em Deus, bem como, o amor ao próximo, que se expressa no perdão. Não se pode rezar o Pai Nosso de qualquer jeito, apenas repetindo palavras. É preciso rezar com o coração e atitudes de filhos e de irmãos, pois não se pode aceitar a Deus como pai e rejeitar os irmãos. Filhos que confiam no Pai; filhos que fazem a vontade do Pai; filhos que permanecem fiéis ao Pai e, por isso, procuram viver fraternalmente como irmãos. Procuremos rezar, de coração, a oração que o Senhor nos ensinou, nas diversas situações da vida, em meio a alegrias ou dores. Jesus se dirigiu ao “Pai” também na hora da paixão, no jardim das oliveiras e na própria cruz.

É importante recordar-se sempre que foi de Jesus que recebemos esta belíssima oração, através da Igreja. Por meio do Pai Nosso, nós manifestamos a graça de pertencer à família dos filhos de Deus, reconhecendo-o como Pai e, ao mesmo tempo, aceitando os outros como irmãos. Pelo batismo, ingressamos na Igreja e passamos a chamar a Deus como Pai nosso. Por isso, é preciso revalorizar o batismo e a nossa pertença à Igreja. Na segunda leitura, a Carta de São Paulo aos Colossenses (Col 2,12-14) fala do batismo como sendo a nossa participação na morte e ressurreição de Cristo, como passagem da morte do pecado à vida em Cristo, graças à sua vitória pascal. A oração de Abraão, verdadeiro diálogo com Deus, apresentado na primeira leitura (Gn 18,20-32), faz-nos pensar na importância de orar não somente por si.

Na Arquidiocese de Brasília, recentemente, recebemos a notícia da nomeação de Dom Valdir Mamede para ser Bispo diocesano de Catanduva, no interior de São Paulo. Sua posse em Catanduva será dia 31 de agosto, às 9 h. Agradecemos, profundamente, a Dom Valdir, por sua generosa dedicação como Bispo auxiliar de Brasília, nestes seis anos, especialmente no Vicariato Norte. Convidamos a todos para a celebração de ação de graças, a ser presidida por ele, na Catedral de Brasília, dia 25 de agosto, às 10:30 h. Rezemos por Dom Valdir!

2019-07-23T15:41:24-03:0023/07/2019|