Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h
Horários de Funcionamento na Pandemia
Segundas: fechada
De terça a sexta: das 08h às 12h15 (inicio da missa) depois fecha.
Sábados: das 08h às 17h (inicio da missa)
Domingos: das 09 às 12h e das 16h às 18h (inicio da missa)

Não faça da Igreja uma aspirina

pina-messina-7xs6ug-HUQ-w-unsplash-1

Caro internauta, no início deste artigo, gostaria de fazer uma espécie de dinâmica com você. Nas próximas linhas, farei algumas perguntas e quero que você as responda uma a uma. Não passe para a próxima pergunta sem responder, ainda que interiormente, a anterior, ok?

Pergunta 1: O que você faria se aquela enxaqueca terrível te abraçasse no momento mais impróprio?

Pergunta 2: Cólica é outro problema sério, especialmente para as mulheres no período menstrual. O que você faria se, por acaso, ela lhe apresentasse neste momento?

Pergunta 3: Tão desagradável quanto a cólica é aquilo que os mineiros denominam de “piriri gangorra”, quer dizer, o intestino extremamente solto. Intestino solto e compromisso inadiável são duas situações que não combinam. Pense: o que você faria se estivesse nessa situação?

Você gosta de tomar aspirina ou remédios para aliviar a sua dor?

Eu poderia fazer mais algumas dezenas de perguntas dentro desse mesmo enredo, porém, creio que já posso parar por aqui. Para algumas dessas perguntas, pelo menos uma, garanto que você tenha respondido algo do tipo: “eu tomaria tal remedinho!”; “para essa situação, tal medicamento é ‘tiro e queda’”. Poucas pessoas responderiam, por exemplo: “eu usaria da minha enxaqueca como uma oferta a Deus pelas almas do purgatório”, ou “a cada pontada abdominal, uma ‘Ave Maria’ para os moribundos”, ou ainda, “que minha alma seja limpa dos meus pecados, assim como esse ‘piriri gangorra’ está limpando-me por dentro”.

De modo algum elaborei essas respostas, digamos, um pouco fora do habitual para que você ficasse com dor na consciência caso não tenha sido as suas, mas para ressaltar a ideia de que nossa reação mais imediata diante da dor é querer que ela se afaste de nós o mais rápido possível. E, não se preocupe, é natural.

A nossa alma também adoece?

Citei alguns exemplos de dores que o nosso corpo pode sofrer, porém, não apenas ele padece de dores, mas também a alma. Quem nunca teve sua alma incomodada ou até mesmo dilacerada por alguma dor ou sofrimento? Não existe quem não a tenha experimentado, seja num grau menor ou maior. Uma perda de um ente querido, um abandono por alguém que amamos muito, uma desilusão, por exemplo, tudo isso nos fere a alma. Porém, ainda não foi inventado um xarope que cure, instantaneamente, a dor da nossa alma. Sendo assim, ela precisa ser enfrentada.

É muito comum buscarmos algum conforto espiritual, quando somos afligidos por sofrimentos, especialmente quando eles estão para além da nossa capacidade humana de resolução. E isso é magnífico, é salutar! O nosso Deus pode todas as coisas e, se for para o bem maior daquele que clama, certamente Ele o livrará do sofrimento. Essa atitude de recorrer a Deus nas situações difíceis mostra o quanto o nosso povo, especialmente o latino americano, possui uma fé extremamente enraizada.

Por outro lado, existe também, e de maneira bastante sutil, uma mentalidade imediatista que beira a uma espécie de misticismo mágico, que faz com que a Igreja seja usada como uma ferramenta de resolução instantânea dos problemas particulares. É isso que não está certo! Quase sempre, para não dizer sempre, aquele que procede dessa maneira se decepciona. Depois da decepção, vem a fase de duvidar de Deus e, não raras vezes, cai no grande equívoco de buscar outros tipos de religião.

A Igreja não é aspirina

Será que essa atitude pode realmente ser considerada uma expressão de fé genuína e madura? Mais parece uma atitude infantilmente birrenta. Não manipule a Santa Igreja como quem manipula um comprimido de farmácia, em que o único benefício esperado é a eliminação instantânea de dores e sofrimentos. Não faça da Igreja uma aspirina!

Deus pode mudar todas as situações da nossa vida, porém, Ele o fará no Seu tempo e de Sua maneira. Será mesmo que a cura ou a eliminação dos problemas da nossa vida é o melhor para nós? Peça a Deus, e se for para o seu bem e sua Salvação, Ele o fará. Não se esqueça de que Deus é o único que vê além; vê sem fronteiras e sem barreiras. Espere confiando no Senhor a todo o tempo e em todas as situações.

Por fim, caro internauta, não espere o sofrimento ou a dor bater à sua porta para buscar a Deus. Ele está sempre esperando por você. Ele quer para você a salvação, a eternidade e a cura de todo o mal.

Deus abençoe você e até a próxima!

Por Gleidson Carvalho, via Canção Nova

2020-01-28T08:41:23-03:0028/01/2020|
Abrir chat
Powered by