Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h
Horários de Funcionamento na Pandemia
Segundas: fechada
De terça a sexta: das 08h às 12h15 (inicio da missa) depois fecha.
Sábados: das 08h às 17h (inicio da missa)
Domingos: das 09 às 12h e das 16h às 18h (inicio da missa)

O Papa aos legisladores: valorizem a vida humana

Nas saudações em várias línguas, durante Audiência Geral, Francisco voltou a falar sobre a importância de tutelar a vida, desde a concepção até seu fim natural, e recordou sua viagem apostólica de cinco anos atrás que teve como primeira etapa a “amada terra cubana”.

cq5dam-thumbnail-cropped-1000-563
Reprodução Vaticano

Durante a saudação aos fiéis poloneses, na Audiência Geral desta quarta-feira (23/09), um dia após a apresentação da Carta da Congregação para a Doutrina da Fé, “Samaritanus bonus”, Francisco voltou a falar sobre o tema da proteção da vida.

Aprovado pelo Papa, o documento oferece uma abordagem integral à pessoa humana, ao sofrimento e à doença, ao cuidado de quem se encontra nas fases críticas e terminais da vida.

Os fiéis poloneses trouxeram um sino com eles para a Audiência Geral, encomendado pela Fundação “Sim à vida”. O sino se chama “A voz dos não nascidos”. Eis as palavras de Francisco e seu apelo aos legisladores:

Ele acompanhará os eventos destinados a lembrar o valor da vida humana, desde a concepção até a morte natural. A sua voz despertará as consciências dos legisladores e de todos os homens de boa vontade na Polônia e no mundo. Que o Senhor, o único e verdadeiro Doador da vida, abençoe vocês e suas famílias.

Proximidade ao povo e à Igreja cubana
Ao saudar os fiéis de língua espanhola, o Papa voltou com o pensamento à sua viagem apostólica que, em 2015, o levou a Cuba, terceiro pontífice a tocar a ilha. Francisco chegou a terras cubanas, em 19 de setembro, e dali prosseguiu para os Estados Unidos, visitando Washington e Nova Iorque até 25 de setembro, e por fim Filadélfia para o grande abraço com as famílias ali reunidas por ocasião de seu 8º Encontro Mundial.

Celebram-se, nestes dias, o quinto aniversário da minha viagem apostólica a Cuba. Saúdo meus irmãos bispos e todos os filhos e filhas daquela amada terra. Asseguro-lhes minha proximidade e minha oração. Peço ao Senhor, por intercessão de Nossa Senhora da Caridade do Cobre, que os liberte e os alivie nestes momentos difíceis que estão atravessando por causa da pandemia.

A ilha de Cuba e a Covid
Poucos dias atrás, os bispos de Cuba anteciparam, numa Carta, as palavras de Francisco recordando com “gratidão e responsabilidade pastoral as experiências daqueles dias de graça”. “A misericórdia que ele deixou com sua visita, continua sendo uma inspiração que dá à nossa missão uma essencialidade evangélica permanente”, escrevem os bispos. Nessa ocasião, os prelados também se referem à difícil situação que a Covid-19 criou na ilha, ao confinamento prolongado e às limitações que as pessoas são obrigadas a enfrentar para obter alimentos e gêneros de primeira necessidade. Até o momento, Cuba tem cerca de 120 mortos e mais de 5 mil contagiados.

Por Gabriella Ceraso/Mariangela Jaguraba – Via Vatican News

2020-09-24T09:25:16-03:0024/09/2020|
Abrir chat
Powered by