Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h

Papa pede escutar o profundo sofrimento dos pais de Alfie Evans

O Papa Francisco enviou suas orações a Alfie Evans e seus pais e exortou a fazer tudo o que for necessário para acompanhar compassivamente o menor, assim como escutar “o profundo sofrimento de seus pais”.

“É minha sincera esperança que seja feito todo o possível para continuar acompanhando o pequeno Alfie Evans e que o profundo sofrimento de seus pais seja ouvido. Estou rezando por Alfie, por sua família e por todos os envolvidos”, disse o Papa em 4 de abril através da sua conta no Twitter.

Em resposta, o “Exército de Alfie”, grupo de apoio de milhares de pessoas que buscam salvar o menino e permanece ativo nas redes sociais, agradeceu a saudação do Santo Padre.

“Sua santidade, obrigado por seus profundos pensamentos e orações por Alfie e seus pais”, disseram.

Alfie Evans é um menino de apenas 22 meses que tem uma condição neurológica degenerativa e está passando por uma luta difícil para sobreviver na Inglaterra; um caso que chamou a atenção de todo o mundo.

Seus pais, Tom Evans e Kate James, estão pedindo a transferência do filho ao Hospital Pediátrico Bambino Gesú, em Roma, mais conhecido como Hospital do Papa, para o seu diagnóstico e tratamento possível.

Deste modo, levaram o caso ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos de Estrasburgo (TEDHE), depois de ficarem sem opções legais na Inglaterra. Mas, três juízes consideraram que o pedido era “inadmissível” em 28 de março.

A decisão foi conclusiva, disse o Tribunal, acrescentando que também rejeitaram o pedido a fim de impedir a retirada do tratamento como uma “medida provisória”.

Semanas antes, em 6 de março, três juízes da Corte de Apelação da Inglaterra já tinham negado um recurso apresentado pelos pais do menino, depois que ambos apelaram a decisão da Corte Suprema que permite ao Alder Hey Children’s Hospital, de Liverpool, desconectar o suporte vital da criança.

O caso de Evans se assemelha ao de Charlie Gard, um menino inglês que tinha uma doença terminal e faleceu em julho de 2017, depois que desconectaram o seu suporte vital, também contra a vontade de seus pais.

Gard tinha 11 meses e esteve no centro de um debate legal, de meses de duração. Os médicos do Hospital Great Ormond Street, que cuidaram de Gard, também foram ao tribunal a fim de desconectar o seu suporte vital.

Por ACI Digital

2018-04-06T09:01:39-03:0006/04/2018|