Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h
Horários de Funcionamento na Pandemia
Segundas: fechada
De terça a sexta: das 08h às 12h15 (inicio da missa) depois fecha.
Sábados: das 08h às 17h (inicio da missa)
Domingos: das 09 às 12h e das 16h às 18h (inicio da missa)

Pelo Twitter, Papa recorda exemplo de Santa Teresa de Calcutá

Nesta terça-feira, 5, a Igreja celebra a memória litúrgica de Santa Teresa de Calcutá, canonizada pelo Papa Francisco em setembro do ano passado. Com uma mensagem no twitter, o Santo Padre recordou o exemplo da santa.

“Como Madre Teresa, abramos horizontes de alegria e de esperança por tanta humanidade desanimada e necessitada de compreensão e de ternura”, escreveu Francisco em sua conta no twitter @Pontifex_pt.

A jovem albanesa Gonxha Agnes Bojaxhiu, popularmente conhecida como Madre Teresa de Calcutá, se dedicou aos mais pobres e necessitados em um grande trabalho humanitário na Índia. Ela faleceu há exatos 20 anos, quando estava com 87 anos de idade. Fundadora das Missionárias da Caridade, madre Teresa recebeu o prêmio Nobel da Paz em 1979.

O exemplo de caridade e de santidade levou Madre Teresa aos altares. Ela foi beatificada pelo então Papa João Paulo II – hoje também santo – em 19 de outubro de 2003. A canonização aconteceu 13 anos depois, em um contexto muito significativo para a Igreja católica: o Jubileu da Misericórdia.

Foi o Papa Francisco a canonizá-la em uma celebração na Praça São Pedro, no Vaticano, em 4 de setembro de 2016. Na ocasião, era celebrado o Jubileu dos Operadores e dos Voluntários da Misericórdia, no contexto do Ano Santo. Na homilia, Francisco recordou o exemplo deixado pela santa de Calcutá.

“Madre Teresa, ao longo de toda a sua existência, foi uma dispensadora generosa da misericórdia divina, fazendo-se disponível a todos, através do acolhimento e da defesa da vida humana, dos nascituros e daqueles abandonados e descartados. (…) A sua missão nas periferias das cidades e nas periferias existenciais permanece nos nossos dias como um testemunho eloquente da proximidade de Deus junto dos mais pobres entre os pobres”, disse o Papa na ocasião.

Por Canção Nova

2017-09-05T15:09:41-03:0005/09/2017|
Abrir chat
Powered by