Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h
Horários de Funcionamento na Pandemia
Segundas: fechada
De terça a sexta: das 08h às 12h15 (inicio da missa) depois fecha.
Sábados: das 08h às 17h (inicio da missa)
Domingos: das 09 às 12h e das 16h às 18h (inicio da missa)

Tráfico de escravos não é só recordação histórica, é atual, diz padre

Ontem, 23 de agosto, a ONU (Organização das Nações Unidas) recordou o Dia Internacional de recordação do tráfico de escravos e da sua abolição. O subsecretário da Seção para os Migrantes e os Refugiados do Dicastério para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral, padre Michael Czerny, enfatizou a atualidade do tema:

“É triste que este Dia de celebração não seja somente uma recordação histórica, mas também um tema por demais atual. Ao mesmo tempo é preciso dizer que a recordação da escravidão do passado é também uma interpelação aberta, porque as consequências do tráfico permanecem até hoje”, disse o padre à Rádio Vaticano.

O Papa Francisco se manifestou sobre o tema, no Twitter, dizendo: “O Senhor se faz próximo daqueles que são vítimas de antigas e novas escravidões: trabalhos desumanos, tráficos ilícitos e exploração”.

Atualmente, a escravidão manifesta-se de outras maneiras, de modo que o Papa Francisco denunciou também em outras ocasiões esta realidade. Para o padre Michael Czerny, a diferença em relação ao passado, é que a a escravidão era, por assim dizer, um aspecto “mais ou menos ‘normal’ da sociedade”; hoje, disse o padre, “muitíssimas formas são escondidas e por isso o primeiro passo é abrir os olhos e ser sensíveis aos perigos da escravidão moderna.”

Outro aspecto é escravidão viabilizadas pelas migrações; um problema que, segundo o padre, os Estados devem enfrentar. “Essa é uma das coisas que o Papa Francisco pediu em sua recente mensagem. Significa que os caminhos da migração devem ser regulados e devem ser relativamente ‘fáceis’, porque do contrário há o perigo de que o tráfico de seres humanos se torne escravidão”, disse o sacerdote.

O Dia Internacional de Lembrança do Tráfico de Escravos e sua Abolição marca o aniversário da insurreição, em 1791, de homens e mulheres escravizados na parte oeste da ilha de Santo Domingo e que levou à criação e independência do Haiti.

Por Canção Nova, com Rádio Vaticano

2017-08-24T09:27:28-03:0024/08/2017|
Abrir chat
Powered by