Horário de Funcionamento e Visita
Segunda-feira: das 08h às 17h
Terça e Sexta-feira: das 10:30h às 17h (limpeza da Nave Central das 08h às 10:30h)
Quarta, Quinta Sábado e Domingo: das 08h às 17h
Hours of Operation and Visit
Monday: 8am at 5pm
Tuesday and Friday: 10:30 - 17: 00 (cleaning of the Central Ship from 08:30 - 10:30)
Wednesday, Thursday Saturday and Sunday: from 08h to 17h
Horários de Funcionamento na Pandemia
Segundas: fechada
De terça a sexta: das 08h às 12h15 (inicio da missa) depois fecha.
Sábados: das 08h às 17h (inicio da missa)
Domingos: das 09 às 12h e das 16h às 18h (inicio da missa)

“Vencer a pressão reinante das más notícias”

Na sessão de apresentação do 51º Dia Mundial das Comunicações Sociais, que a Igreja Católica celebra no domingo, o presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais, Dom Pio Alves, lançou um desafio aos presentes afirmando que os órgãos da media devem superar a “pressão” que se exerce para potencializar as “más notícias” e o “lado sombrio” da atualidade.

“Recurso frequente” à má notícia

O Dia Mundial das Comunicações Sociais, única celebração do género estabelecida pelo Concílio Vaticano II (decreto ‘Inter Mirifica’, 1963), é celebrado no domingo que antecede o Pentecostes, este ano no dia 28 de maio.

O presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais admitiu que a pressão exercida sobre os órgãos da media para destacar as más notícias tenha sua origem também no clima criado para que se exaspere a “necessidade de vender”.

“Parece que se supõe que a má notícia vende melhor. Suponhamos que sim. Mas será porque existe alguma tendência inata para gostar do mal? Não parece”, assinalou Dom Pio Alves durante o encontro de apresentação da Mensagem do Papa para o 51º Dia Mundial das Comunicações Sociais, realizado no auditório da Rádio Renascença, em Lisboa.

Dom Pio Alves lamentou a fixação no “lado sombrio” da atualidade, convidando os media a “potenciar as boas notícias” e a renovar a sua comunicação. Para ele, vencer a pressão reinante das más notícias vai além da necessidade de vender.

Potencializar as boas notícias

A síndrome de catástrofe parece nascida de uma conjuração para deixar de lado o que é bom e o que é belo. Uma situação que não traz esperança e nem alento e alegria.

Para Dom Pio Alves, há um “recurso frequente” à má notícia. E isso leva à fixação monotemática que se apega ao “lado sombrio” da atualidade. Dom Pio lamentou a difusão deste estado de espírito e convidou os media a “potenciar as boas notícias” e a renovar a sua comunicação.

No início dos trabalhos desta reunião de apresentação, o Padre Américo Aguiar, diretor do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais, agradeceu a todos os que se predispuseram a fazer uma “leitura” da mensagem do Papa Francisco, publicada na festa litúrgica de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas, em 24 de janeiro.

Por Gaudium Press

2017-05-23T11:14:36-03:0023/05/2017|
Abrir chat
Powered by